Compartilhar por e-mail
Seu nome:
Seu e-mail:
E-mail destinatário:
Enviar
23Mai2016

Mandalas: construindo integração e harmonia

Mandala : símbolo da Integração e Harmonia

A Mandala é uma porta para a consciência em evolução, possibilita autoconhecimento e conquista da unidade interior e exterior, reconciliando e integrando os opostos.  Ao se construir uma mandala expressamos nossa criatividade, reinventando e reconstruindo nos na direção de um novo e significativo todo, num espaço de reintegração. Suas cores expressam os nossos mais íntimos pensamentos, sentimentos, intuições e sensações físicas .

A confecção de mandalas traz também como consequência uma vida simbólica mais intuitiva, mas criativa e individualmente mais livre, pois ajuda nos a  entrar em sintonia com nosso  potencial  interior, aceitando e enriquecendo nosso imaginário.

A escolha das cores é em grande parte guiada pelo inconsciente e representa uma expressão direta de estados interiores que geralmente estão além  da percepção consciente, levando ao conhecimento e informação do simbolismo  expresso nas formas e cores, mesmo quando não se penetra no significado delas.

Não há  mandalas boas ou ruins, busque o fluxo natural de cores e formas  que refletem o seu processo vital e único.

A palavra Mandala significa em Sanscrito ( linguagem antiga da Índia ) centro, circulo mágico, o mistério.  É geralmente descrito como uma figura geométrica representada por um circulo sobre um quadrado ou vice- versa, incluindo ou não outras formas.

Sua característica mais importante é que seu traçado tem que ser feito em torno de um ponto central que da ideia de irradia-se de um centro ou mover-se em direção a ele.

C. G. Jung  estudou profundamente a utilização das mandalas e as utilizou como forma de auto expressão,  centramento, e  representação simbólica do Eu ou o Self- arquétipo da Unidade Interior.

Existes segundo estudiosos três tipos de mandalas: as de culto, as de meditação, e as terapeuticas. Elas se diferenciam em função do seu uso e finalidade, mas também segundo o estado de consciência do individuao no momento da sua criação, estado de culto, de meditação, de cura terapeutica e de expansão da consciência, como instrumento de autoconhecimento e transformação interior.

Estão presentes nas rosaseas do vitrais coloridos das catedrais, nos calendarios maias, nas areias coloridas dos tibetanos.

Misticos ocidentais e orientais de quase todas as culturas ao longo da historia da humaniade já utilizaram Mandalas como Caminho para reencontrar o proprio centro.

- baseado em artigo da revista sintonia holistica.

Construindo uma Mandala Expontanea

 Folha A 4 ou A3,  lapis, giz de cera, pinceis de tinta guaxe, recortes de revistas, sucatas e  o que vier na mente para criar e expressar livremente na sua mandala.

Coloque uma musica suave e deixe o ambiente acolhedor e tranquilo sem ser incomodado.

Inicie uma breve meditação por 5 minutos: posição confortavel, sentindo o corpo, a coluna alongada, começe a perceber sua respiração, o movimento natural do ar entrando e saido das narinas. Concentre se neste momento presente, deixando os pensamentos passarem sem se apegar a eles.

Vá retornando devar da meditação.

Visualize a folha em branco a sua frente e coloque uma intensão ou reflita sobre uma questão  que queira trazer na construção de sua mandala.

Inicie traçando um ponto central com uma cor que mais lhe chamar atenção e  permita que se expanda e se  irradie formando uma circunferencia perto das bordas do papel.

Utilize  toda sua criatividade e expontaneidade  criando  formas, imagens, desenhos, cores que lhe vierem à mente, podendo expandir os contornos do circulo afora com lapis de cor, giz de cera, materias de sucata, recortes de revista à seu criteiro.

Aprecie a mandala e observe as cores e formas que mais utilizou na sua construção e veja as associações com a questão que colocou no incio de sua confecção, podendo anotar em uma folha suas percepções.

Anote a data e seu nome no verso do desenho e reserve para você acompanhar a evolução de outras mandalas que construir.

Lembre-se não existe mandala certa ou errada, ela é  o que você expressou naquele momento.

As cores podem expressar algo em determinado momento, mas em outros momentos podem expressar outra coisa.

Você pode preferir destruir a mandala queimando-a como forma de livra-se de algo que nela expressou. Na finalização descarte as cinzas em água corrente para o elemento água levar aquilo que deseja, além do fogo que a queimou.

 

 

Compartilhe:
Comentários
Outras sugestões para a sua leitura
Mulheres em Círculo
14Mar2018

Círculos são para nós, mulheres, que ao abrir um espaço na cultura ocidental de orientação masculina nos ...

Compartilhe:
Perdão e qualidade de vida
28Jan2018

A palavra utilizada para perdoar ou absorver em Aramaico é Cancelar.

 Linguagem utilizada na época ...

Compartilhe:
Relacionamento a dois
27Nov2017

"O relacionamento de casal se desenvolve através do soltar, de soltar sonhos. A felicidade almejada não tem o ...

Compartilhe:
Magali Bergamo 2015 - Todos os direitos reservados
Criação de sites Vinhedo, Valinhos, Campinas