Compartilhar por e-mail
Seu nome:
Seu e-mail:
E-mail destinatário:
Enviar
19Fev2015

A Gratidão

Ela é uma das melhores e mais belas virtudes que o homem recebeu de herança na sua concepção humana. Ela abre portas e portais para abrirmos o coração e nos conectar com a fonte universal de bênçãos, nos perceber como partes de um todo e unirmos os propósitos de vivermos em grupo de forma comunitária, participativa e integrada.

A gratidão é um atributo que devemos estimular em questões pequenas do dia a dia como o acordar de manhã, abrirmos os olhos e respirar, até as mais complexas ações que envolvem nossos relacionamentos, nosso trabalho e tudo que nos cerca. A gentileza, a aceitação, empatia, compreensão nascem desta mesma fonte de virtudes e nos dias atuais estamos economizando muito estas opções de comportamento e abrindo espaços para o mal humor, a critica, intolerância, descontentamentos e agressividades, às vezes de forma sutil ou não, em palavras ou atos de desrespeito ao outro no trânsito, nas filas, mercados e todo um cotidiano que necessita ser revisto. Temos pressa e às vezes parece que não enxergamos o outro, queremos passar por cima muitas vezes literalmente.

Enquanto não buscarmos atributos superiores em nosso Ser Interior, em nosso coração que tem a fonte de todo o poder, amor e sabedoria  teremos o sofrimento e guerras maiores por vários continentes. São as pequenas guerras que travamos no dia-a-dia que levam o planeta a ter as grandes guerras étnicas, religiosas e políticas. Somos parte de um todo.

Precisamos começar a vivenciar o nosso discurso pacifista no dia-a-dia, dentro de casa, com o parceiro ao lado, não só nos locais politicamente corretos.

Não podemos esquecer também das nossas guerras internas, não poderíamos deixá-las de lado.

O que em mim está mal? Onde estou me enganando? O que me tira do alvo daquilo que é melhor para mim? Talvez o excesso de comida, bebida?

Aquele relacionamento que não me agrega nada, em que eu forneço o pior de mim e me traz o pior do outro?

O trabalho que me faz sentir escravo e humilhado, a falta de sentido no que realizo?

São questões que somente nós podemos responder após uma reflexão sobre nossos propósitos de vida, saindo da posição de vitimas, e da infantilidade, que coloca sempre no outro a responsabilidade sobre o que nos acontece.

Vamos ser artífice, aquele que constrói seu caminho, assumindo nossa parcela na Criação da Vida com as melhores virtudes do nosso Coração. Diminuindo ou acabando com as pequenas e grandes guerras.

Reflexão:

Encontre um lugar tranquilo e sente-se confortavelmente. Começe a observar todo o seu corpo, sinta e perceba as partes que estão mais relaxadas, as partes que estão mais tensas, perceba sem julgamento ou crítica, apenas observe.... Pés, pernas, quadril, abdômen, tronco, costas, braços, cabeça, face, couro cabeludo. Respire profunda e calmamente enquanto realiza esta observação. Quando se sentir relaxado comece a trazer estas reflexões para o centro de sua consciência:

O que me leva ao Alvo? Ao melhor de mim?

O que faz sentido para mim?

Qual é o meu remédio ao planeta? Qual é minha vocação?

Minha missão? Ao que eu vim?

As respostas podem surgir em momentos diversos como nos sonhos, esponeamente ou insigth.

Compartilhe:
Comentários
Outras sugestões para a sua leitura
A aceitação da sombra
04Set2018

A aceitação da sombra

Se nós não convivermos com a nossa sombra somos caolhos, vemos com um olho só, ...

Compartilhe:
Mulheres em Círculo
14Mar2018

Círculos são para nós, mulheres, que ao abrir um espaço na cultura ocidental de orientação masculina nos ...

Compartilhe:
Perdão e qualidade de vida
28Jan2018

A palavra utilizada para perdoar ou absorver em Aramaico é Cancelar.

 Linguagem utilizada na época ...

Compartilhe:
Magali Bergamo 2015 - Todos os direitos reservados
Criação de sites Vinhedo, Valinhos, Campinas